Para Ler, Ver e Ouvir.

terça-feira, 31 de março de 2020

A música de agora

Quem toca essa música do agora? Em volta de você, entrando por seus ouvidos, tocando na sua alma, esse som que você escuta, que música é essa tocando agora? Você consegue me dizer? Não? Tente.

Nesse momento existe apenas uma música. Um acorde, uma palavra, um sussurro, um barulho longe, uma música. Nem antes, nem depois, mas no agora. O que está em execução? O que diz essa palavra, para onde ela leva o seu pensamento, o seu coração, para onde leva essa música, para agora? Claro, você pode ouvir outro som, outra música daqui a pouco, logo depois. 

Você já ouviu muitas outras antes. Mas e essa, agora? Essa única, sozinha, fazendo parte da paisagem, dando o tom da conversa, a trilha sonora de agora? Que música é essa, de onde ela veio, ela se parece com o quê? Ela se parece com outra música, de outra pessoa, de outra época? Ou é só uma solitária música? Qual a família dessa distorção, dessa língua, desse desarranjo que você agora escuta? Ela te faz bem? Não?

Você pode até sentir algum ódio dessa música, pode ter vergonha das lágrimas que ela te desperta, ainda que não chore, agora. O quê te lembra essa música, que ninguém precisa, que ninguém preocupa, que ninguém liga pra ela? E porquê essa música e não aquela outra?

A música de agora

São muitas perguntas, eu sei. Perguntas demais para uma desimportante peça de agora. Aquilo que soa no canto da cena, que espia do estéreo da história, que não ama. Aquilo que se chama música.
SHARE:

2 comentários

Blog Layout Designed by pipdig