Para Ler, Ver e Ouvir.

segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Filme #191 – Um Som Diferente (Pump Up the Volume, 1990)

 A voz de uma geração.

Aluno tímido se transforma num locutor de uma rádio pirata, como Harry Hard, para “desabafar” e delatar o que acha de errado no dia a dia de sua escola. Ele revoluciona o pensamento de seus colegas, criando a maior confusão com professores, diretora, autoridades da cidade e repórteres. Será que ele conseguirá defender sua causa?

No dia 21 de setembro é comemorado o dia do adolescente. Então decidi trazer um filme ''Um Som Diferente'' com uma temática adolescente, porém com um enredo bem inteligente. Mostrando, de uma perspectiva adolescente, coisas como gravidez na adolescência, suicídio e depressão, sexo e dinâmica social no ensino médio.

De dia Mark Hunter (interpretado pelo Christian Slater) é um estudante tímido numa pequena cidade do Arizona. Mas à noite ele é Hard Harry, o cínico DJ sem censura de uma estação de rádio pirata que está incendiando a cidade com seus engraçados monólogos sobre sexo, amor e o rock.

sss
Christian Slater como ''Hard Harry'' em ''Um Som Diferente''


Idolatrado por seus colegas de classe - que não sabem sua verdadeira identidade. Harry se torna um herói, inspirando seus ouvintes a descobrir suas próprias vozes de rebelião e individualismo. Mas quando ele denuncia a corrupta direta da escola, ela chama os policiais para calarem a voz de Harry. 

Mark vive um estilo de vida semelhante ao do Superman. Ele é um geek durante o dia e até usa óculos para esconder sua identidade. À noite, ele tira os óculos e é um super-herói do microfone. Os alunos ligam para a linha tefonica de Harry com problemas tão variados que todos podem encontrar algo com que se identifiquem. Uma linda garota loira está cansada de fingir ser perfeita. Um adolescente gay fica frustrado com o bullying que sofre. Outra menina é expulsa da escola depois de descobrir que está grávida. Gay ou heterossexual, homem ou mulher, gordo ou magro, ''Harry'' sempre tem palavras de auto-afirmação de sabedoria para cada um deles.

O anonimato do programa de rádio e seu “codinome”(Hard Harry) deu-lhe a força para compartilhar seus pensamentos, seus gostos, suas opiniões e sua honestidade crua que conectava seus ouvintes em um nível pessoal e como um grupo. Harry canta sobre educação, poluição e falta de liderança na América. O filme convida os adolescentes a acordar, assumir o controle de suas vidas e fazer a diferença no mundo.  

Um Som Diferente (no original, Pump Up the Volume) foi lançado em 1990. Isso foi antes do autor desse blog nascer e da internet e, que é um detalhe importante para lembrar quando você reassistir este filme, ou vê-lo pela primeira vez, porque a maneira como Mark se conecta pelas ondas do rádio usadas ilegalmente para alcançar a galera é algo que pode parecer antiquado agora. Mas, na época, era poderoso e inspirador, principalmente porque Mark, em seu cotidiano, “pessoalmente”, era um cara introvertido e isolado, o que faz muitos por aí se identificar com o personagem. Falando nisso, esse personagem do Christian Slater é ótimo e eu amo o quão tímido ele é em público e o quão legal ele é quando ele é o anônimo “Hard Harry” e simplesmente se solta. Eu mesmo gostaria de ser assim, eu acho que sou, talvez. Não sei! (rsrs). Eu era muito tímido quando adolescente e a ideia de dirigir anonimamente uma estação de rádio pirata realmente me atraía. Qual garoto ou garota não sonhou em ter um espaço anônimo onde pudesse falar o que quisesse, ser o que imaginasse, soltar todos os seus anseios e abrir sua alma? A internet veio como um sopro nesse vazio existencial, por isso vemos tantos fakes por aí.

É um filme com uma mensagem que defende a ideia de como a influência de todas as formas e tamanhos pode ser usada como uma ferramenta eficaz para a mudança, ''Um som diferente'' é uma celebração da livre expressão que faz a gente rir, curtir ótimas canções e pensar...

Não posso terminar esta análise sem mencionar a trilha sonora INCRÍVEL. A música era uma parte vital do programa de rádio de Mark e ajudou a fortalecê-lo, eliciar ressonância emocional e conectar suas palavras aos ouvintes. A música é uma força poderosa para a história, e as canções escolhidas para acompanhar o filme são inesquecíveis e emocionantes também. Somos apresentados a Leonard Cohen, que eu curto muito, apresentando uma ótima versão cover de sua canção ''Everybody Knows'',  e uma mistura eclética de punk, alternativa e até hip-hop que reunidos em um álbum de uma poderosa trilhas sonora. 

Encontre sua voz e use-a!

SHARE:

Nenhum comentário

Postar um comentário

Blog Layout Designed by pipdig