quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

Reflexões Musicais de 2020: As Minhas Escolhas de Fim de Ano!

 Ah, 2020. Caramba. Um ano. Apesar do Vírus Chinês (a.k.a. Coronavírus/COVID-19) possa ter destruído muitas coisas, certamente não parou a música. Os cinemas podem estar fechando a torto e a direito, mas os artistas ainda estão lançando muitas músicas como sempre. Confesso que este ano, eu não dei tanta atenção para os lançamentos e nem as novidades musicais, mas fiz um esforço para ficar atento. Para começar não fui assinante do Spotify, por tanto não haverá lista das mais ouvidas no ano de 2020. Foi um ano complicado, mas a música sempre permaneceu alegrando o meu dia. Decidi compilar alguns lançamentos deste ano mesclado com álbuns lançados há anos, mas que eu revisitei para criar este post. 

Reflexões Musicais de 2020: As Minhas Escolhas de Fim de Ano!

Jason Mraz, Looking for the Good: Não sou ligado nas canções dele, mas esse álbum é legal de ouvir. Jason Mraz conhece bem o otimismo. E seu último álbum prova exatamente isso. O comprometimento descarado desse cantor e compositor com a positividade brilha em todas as suas faixas cheias de groove. Envolvidas em uma vibração reggae suave, suas músicas são centradas em mensagens de amor e bondade. Todo esse esforço é realmente um lembrete para os ouvintes prestarem atenção a todas as coisas positivas que acontecem ao seu redor. E essa é uma mensagem que todos nós poderíamos usar este ano. Recomendo para encerrar o dia com uma boa música.

Stone Temple Pilots, Perdida: Outra banda que já teve algumas de suas canções tocadas aqui. Lançado no começo de fevereiro de 2020, Perdida chega exalando uma sensação melancólica e de desejo - tanto musical quanto liricamente - mas sem soar sombrio, é um álbum focado fortemente em olhar para trás, relembrando tempos bons e ruins, alguns para serem apreciados e outros esquecidos. É um álbum de amores perdidos, velhos amigos, erros cometidos, oportunidades perdidas, promessa não cumprida, tudo entregue em ritmos lentos a médios e muitas vezes permeado com um toque espanhol. Eu gostei bastante.

NEEDTOBREATHE, Out of Body: Já compartilhei algumas canções da banda aqui no blog. Uma banda de rock cristão que lançou seu sétimo álbum de estúdio esse ano e, cara, foi muito bom. Uma coleção de 11 canções, Out of Body  é uma mistura de rock e folk, misturada com outras dicas musicais. Ele examina introspectivamente o propósito e a paixão e examina a necessidade desesperada de Deus e as complexidades da família e da amizade. Também nos incentiva a buscar esperança em meio às adversidades da vida, à medida que fazemos uma jornada que proclama que cura e maravilha são encontradas nos braços de um Salvador.

Switchfoot, Native Tongue: Apesar de ter sido lançado ano passado, incluo na lista. É um álbum que fala sobre o amor. Isso pode parecer um clichê, mas precisamos de amor, especialmente em nossos tempos culturalmente turbulentos. Amar não significa desculpar por cada ação e chamar todas as coisas de ótimas. Mas requer tratar os outros com bondade e dignidade, apesar das diferenças. Switchfoot sempre expressou muito bem o amor por meio de suas canções. Jon Foreman e sua banda costumam cantar sobre seu Criador, sobre Aquele que eles conhecem como um amigo. E esse álbum não é diferente. Switchfoot mais uma vez nos lembra a importância de nossas palavras, que podem impedir e ferir outras pessoas ou refletir o amor curador de Deus.

Álbum Retrô: Sonicflood, Resonate: Redescobri esse álbum recentemente e tenho ouvido nos últimos dias. Foi lançado em 2002, mas a mensagem que transmite em suas canções é cada vez mais atual. É um tipo de álbum que mostra a dedicação e o compromisso da banda em proclamar a glória de Deus por meio de canções de louvor e adoração do rock moderno. É divertido, é um energético CD de adoração! A canção-título original "Resonate" faz parte de um tipo de canção que expressa a onipotência de Deus sobre toda a Sua criação, é a minha música favorita neste álbum. Grande grupo de adoração moderno, vale a pena ouvir!

Álbum Retrô: Sixpence None The Richer, This Beautiful MessNos últimos meses eu também revisitei o segundo álbum de estúdio da banda Sixpence... lançado lá em 1995, no ano do meu nascimento. Chamado de ''This Beautiful Mess''. É um álbum com uma música profunda e sonhadora junto com os vocais suaves de Leigh Nash (eu amo essa mulher) e as composições profundas de Matt Slocum fizeram deste álbum uma jornada musical inesquecível. Quase todas as músicas deste álbum são incríveis por si só, difícil escolher a melhor, mas eu amo Within a Room Somewhere. As letras incorporam temas cristãos, mas você não precisa ser um crente para curtir a banda. É rico, melódico e satisfaz.

Até mais.
SHARE:

Um comentário

Blog Layout Designed by pipdig